FIA WRC | Brasil no Rally da Suécia

Dupla brasileira completa Rally
da Suécia e fará toda a temporada

Quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2010, 13:25

Photo-4

Paulo Nobre e o navegador Edu Paula farão toda a temporada na categoria Production

Redação ULTIMAVOLTA.com

Na categoria P-WRC (Production), de carros de rua preparados, o piloto Paulo ‘Palmeirinha’ Nobre e o navegador e Edu Paula começaram na Suécia uma jornada que fará deles a primeira dupla de pilotos a correr todas as etapas do WRC em 2010. Eles, que já haviam participado da última etapa do ano passado, na Grã-Bretanha, contornaram os diversos problemas de quem é ‘café-com-leite’ e conseguiram completar o primeiro rally do ano no 8º lugar na categoria e 43º no geral a bordo de um Mitsubishi Lancer Evolution.

Dias antes de estrear, Nobre fez testes no interior da Suécia com seu companheiro de time, Patrick Sandell: “Estava ansioso para saber como é pilotar neste tipo de terreno completamente desconhecido para nós. E foi até uma surpresa, pois com os pneus especiais para a neve, cheio de pregos com 7 milímetros, temos um grip maior do que o que se tem na terra”, disse.

Mas o piloto também relatou que nem tudo são flores: “Para isso, os pneus precisam estar no trilho formado pelos carros que passaram antes e os pregos ficarem em contato direto com o gelo. Se escapar do trilho, aí a casa cai, pois você pega a neve fofa, que é pior que lama. Ou seja, se andar no trilho o grip é incrível, mas se escapar, só Deus sabe onde vai parar”, contou.

Photo-4

Os brasileiros passaram maus bocados a bordo do Lancer Evo X da equipe austríaca BRR

Começando o rally sueco de modo cauteloso, Nobre aos poucos foi adquirindo o know-how: “Freando com o pé esquerdo e com o direito no acelerador, as respostas ficam muito mais rápidas, o carro fica muito mais na “mão” e “aponta” melhor nas curvas. Isso foi algo que o Patrick Sandell disse que ia me ajudar muito. E ele tinha razão,”, revelou. Ele terminou a sexta-feira em 34º lugar geral.

O sábado foi mais complicado – praticamente uma epopeia. Um pneu furado fez com que o Lancer ficasse preso em uma ribanceira de neve ao lado da pista. “Saímos do carro eu e o Edu e chamamos os torcedores para nos ajudarem. A galera veio e apesar do esforço de todos, o carro não saia do lugar. Depois de uns dez minutos tentando, já estávamos agradecendo o esforço de todos, mas não ia dar pra continuar. Mas a turma não se dava por vencida, veio mais gente ajudar e eles praticamente carregaram o carro de volta para a trilha”, contou Nobre.

Mas ainda havia mais: “Ainda tínhamos que trocar o pneu. E não é que eles arrancaram as ferramentas e o estepe das nossas mãos, mandaram a gente se preparar dentro do carro e trocaram o pneu furado, mesmo com a roda torta por termos rodado um pouco no aro. E quando saímos dali dava pra ver a festa da galera, a maioria ‘meio’ bêbada”, contou Palmeirinha, que conseguiu chegar ao fim do dia sem tomar punição por atraso.

Photo-4

Fanático pelo Palmeiras, Nobre correu com o já tradicional layout 'verdão' no carro

O domingo serviria apenas para carregar o carro até o final. Mas mais dificuldades estavam a caminho. Com a marcha ré quebrada, Nobre não podia errar. Ou então era improvisar, como fez no último estágio: “O final do trecho era um zigue-zague para o público poder ver os carros, só que passamos reto numa dessas curvas e caímos numa vala. Saímos dela no estilo Cross Country, sem parar de acelerar. E como desgraça pouca é bobagem, tivemos um pneu furado no deslocamento final e quase estouramos o tempo para chegar ao Apoio”, relatou.

Apesar da lista de infortúnios, Nobre e Paula saíram no lucro e com ótimas histórias. “Foi legal ver o carinho do público e jamais esquecerei a ‘desatolada’ feita no braço pela galera”, lembrou o piloto. “Gostei muito desse rali. Aprendemos muito aqui e chegamos a pensar que o rali tinha acabado para nós ontem [13], mas os torcedores literalmente nos colocaram de volta a prova, isso foi muito bacana. E andar na neve é algo incrível e estou feliz de termos sido os primeiros brasileiros a fazer um rally aqui na Suécia”, relatou o navegador Edu.

Nobre e Paula agora se juntam a Sady Bordin, como únicos brasileiros a terem participado de um rali na neve. Bordin competiu no Rally da Finlândia de 1986.

Photo-4

Para pegar as manhas na neve, Nobre contou com as dicas do companheiro Patrick Sandell

Confira o resultado do Rally da Suécia na categoria P-WRC

1) Patrik Flodin (Mitsubishi Lancer Evo IX), 3h28min04s7
2) Anders Grondal (Subaru Impreza), 3h29min17s8
3) Armindo Araújo (Mitsubishi Lancer EvoX), 3h33min09s6
4) Fabio Frisiero (Mitsubishi Lancer Evo IX), 3h44min49s8
5) Martin Semerad (Mitsubishi Lancer Evo IX), 3h49min52s5
6) Reijo Muhonen (Mitsubishi Lancer Evo X), 3h53min00s0
7) Gianluca Linari (Subaru Impreza), 4h11min03s3
8) Paulo Nobre (Mitsubishi Lancer Evo X), 4h19min52s1